top of page
  • Foto do escritorRodolfo Brenner

#62 - Mekayla Bali: Fuga ou Rapto? | DESAPARECIDOS

Uma adolescente desaparece de forma misteriosa após ir para a escola, e mesmo com várias gravações de câmeras de segurança, ninguém consegue dizer com certeza o que aconteceu.


Essa é a versão escrita do episódio #62 - Mekayla Bali: Fuga ou Rapto?:



Mekayla Margaret Kim Bali nasceu no dia 2 de julho de 1999 em Regina, capital da província de Saskatchewan, no Canadá. Ela era filha de Paula Bali, que tinha um cargo importante no Ministério de Serviços Sociais de Saskatchewan. Seu pai nunca teve o nome divulgado, e pelo que se sabe, ele nunca teve qualquer contato com a filha. Ela residia em Yorkton, que ficava a 2h de carro de Regina. Mekayla morava com a mãe, a avó Margareth e dois irmãos mais novos.

Mekayla foi descrita como uma garota tímida e quieta. Ela estava cursando a 11ª série, tocava violino e participava do clube de teatro da sua escola. Ela tinha poucos amigos, mas eram amigos muito próximos, que a descreveram como muito simpática e carinhosa. Ela também amava os animais e adorava crianças, por isso estava em dúvida em seguir a carreira de veterinária ou de professora. Na época do caso ela tinha 16 anos.


Mekayla junto com a mãe, Paula


No dia 12 de abril de 2016, a família teve sua rotina normal durante a manhã: eles tomaram café, conversaram e a Mekayla se maquiou com a ajuda da mãe. Segundo o que disseram seus amigos, ela usava bastante maquiagem pois tinha um problema com acne que a incomodava muito. Mekayla foi para a escola com a mãe e com a avó, chegando lá entre 8h10 e 8h20. Depois, a avó foi deixar a mãe, Paula, no trabalho dela.

Próximo das 14h30, Margareth foi buscar Mekayla como ela sempre fazia, mas ela não apareceu. Depois de esperar algum tempo, ela entrou na escola atrás da neta e perguntou para os funcionários se alguém tinha visto ela, mas foi informada de que a Mekayla não tinha frequentado as aulas naquele dia. - Já preocupada, Margareth foi até o trabalho de Paula e contou o que tinha acontecido. A mãe tentou se manter calma, pensou que a menina podia ter ido embora mais cedo ou que poderia estar praticando violino por causa de um recital que ela teria em algumas semanas.

As duas começaram a ligar para o celular dela e também para amigos, vizinhos e para os irmãos de Mekayla, mas ninguém sabia o seu paradeiro. Paula foi até sua casa e verificou se havia alguma coisa da Mekayla faltando como roupas, documentos e uma quantia de dinheiro que ela mantinha em casa para emergências, mas tudo estava no lugar. Foi nesse momento que a Paula registrou o desaparecimento.


Alerta de menor desaparecido para Mekayla


Na manhã seguinte a polícia começou a refazer os passos da Mekayla desde o momento que ela chegou na escola. Ao analisar as câmeras de segurança, eles notaram que, ao invés de entrar na aula, ela saiu pelos fundos da escola. Primeiro, Mekayla foi até uma agência bancária, mas como o banco ainda estava fechado, ela ficou esperando do lado de fora. Depois que a agência abriu, ela sacou 55 dólares da sua conta e foi andando até a loja de penhores Terry's Pawn and Bargain para penhorar um anel de prata, mas o atendente não comprou devido ao objeto ser de baixo valor.

Após isso, ela foi até um restaurante, comprou uma bebida e passou um tempo sentada em uma das mesas. Durante o tempo em que ficou sentada, é possível ver que Mekayla estava montando e desmontando seu celular. Após 15 minutos, ela levantou da mesa e ficou por 25 minutos rondando o restaurante, como se estivesse procurando por alguém. pós esse período, ela senta em outra mesa e passa mais de 20 minutos em uma ligação telefônica. Enquanto esteve no restaurante, ela sempre é vista olhando para os lados, como se estivesse procurando por alguém.


Mekayla sentada em uma das mesas


Às 10h12, Mekayla enviou uma mensagem de texto para uma amiga dizendo: “Ei, preciso de ajuda”, mas logo em seguida ela mandou outra dizendo “Esqueça, eu descobri”. Às 10h43, ela se aproxima de uma senhora e as duas têm uma breve conversa. Posteriormente, essa senhora disse que Mekayla pediu ajuda para alugar um quarto de hotel, mas ela não aceitou.

Após a recusa, ela deixou o restaurante e foi até a rodoviária: o funcionário que a atendeu disse que ela perguntou quando sairia o próximo ônibus para Regina, e foi avisada que isso só iria acontecer às 17h. Ela saiu do local sem comprar a passagem. Às 11h35, Mekayla enviou outra mensagem de texto para a amiga dizendo: “Vejo você na hora do almoço”.

Ela realmente voltou ao colégio próximo do 12h e se encontrou com outras duas colegas. Para elas, ela disse que iria passar férias em Regina. Após sair da escola, ela voltou ao restaurante, almoçou e deixou o local entre 13h e 13h45. Essa foi a última vez que ela foi vista. Quando desapareceu, Mekayla tinha 1,57 de altura, 56 kg, cabelo ruivo (que estavam pintados de loiro na época), olhos azuis e usava óculos. Ela vestia calça jeans, um casaco vinho e um cachecol azul.


Imagens de câmera de segurança de Mekayla antes de desaparecer


A polícia tentou rastrear o telefone de Mekayla, mas percebeu que o último pin que ele tinha dado em uma rede tinha sido às 6h51 do dia 13, e, após isso, ele foi desligado. Um dia antes de desaparecer, Mekayla teria dito para alguns amigos que pretendia fazer uma viagem por várias cidades canadenses e que tinha 5 mil dólares na sua conta, mas nenhuma dessas informações era verdade. Posteriormente a sua conta no banco não foi mais mexida, assim como as suas redes sociais. Entretanto, segundo uma amiga, 3 meses após desaparecer, uma mensagem foi enviada para o Snapchat da garota foi marcada como lida, mas a polícia não conseguiu retirar mais informações deste incidente.

Após algum tempo, surgiu um primeiro suspeito: Rick Breit. Segundo as fontes, ele morava próximo da rodoviária onde Mekayla foi vista. Rick foi bastante solícito, forneceu amostras de DNA e deixou a polícia investigar sua casa. Aparentemente não foi possível conectar ele com o desaparecimento em si, entretanto, ao chegarem o resultado dos testes de DNA, descobriu-se que Rick era o pai biológico da Mekayla. Posteriormente, ele disse em entrevistas que não tinha nenhum contato com a filha e que torcia para que ela estivesse bem.

Testemunhas também disseram que viram ela conversando com um homem na casa dos 30 anos e que tinha uma tatuagem de cruz no antebraço, mas esse homem nunca foi identificado. Paula reiterou que Mekayla sempre foi uma adolescente comum, sem histórico de brigas, fugas, drogas ou doenças mentais, e a falta de respostas do porquê ela desapareceu era uma das coisas que mais a incomodava.


Paula Bali em coletiva de imprensa


6 meses após o desaparecimento, foi realizada uma vigília à luz de velas no City Center Park, que reuniu centenas de pessoas. Paula disse: “Não há nada concreto para dizer que Mekayla está em algum lugar, estamos seguindo dicas ou pistas que não estão tão bem estabelecidas quanto gostaríamos. Não há avistamentos confirmados, mas sinto que, se não acompanhar nenhuma possibilidade, não consigo dormir”. Paula passou a ser a porta-voz do caso, tendo viajado por diversas cidades canadenses distribuindo cartazes e fazendo apelos públicos para que sua filha volte para casa. Além de receber doações, a família ainda realizou a venda de objetos e ofereceu jantares com a ajuda de estabelecimentos locais.

A polícia recebeu inúmeras denúncias sobre possíveis avistamentos de Mekayla, mas nenhum se demonstrou concreto. No dia 8 de agosto, um homem entrou em contato com a própria Paula e contou que tinha conversado com uma jovem na cidade de Edmonton, e que, posteriormente, viu que se tratava de Mekayla, mas a polícia não conseguiu rastrear esse contato.

Uma recompensa inicial de $15.000 foi oferecida por informações que levariam ao paradeiro de Mekayla, sendo que esse valor foi aumentando gradativamente através de doações até chegar em $40.000. Em abril de 2022, 6 anos após o desaparecimento, um doador anônimo levantou mais $60.000, totalizando $100.000. Paula agradeceu e disse que a recompensa pode ajudar a encontrar novas informações que ainda não tinham sido divulgadas.


Poster informando a recompensa de $100.000 por informações


Segundo a polícia canadense, as investigações ainda estão em andamento, embora não haja novas atualizações do caso. Em 2019 foi liberada uma progressão de idade de Mekayla com 19 anos. Hoje ela teria 23.

No dia 12 de abril sempre são realizadas vigílias para que o caso não caia no esquecimento. Paula manteve o quarto de Mekayla do mesmo jeito que estava quando ela saiu. Segundo ela “Você só espera que ela entre pela porta um dia, então você deixa tudo em uma cápsula do tempo”.


Progressão de idade de Mekayla Bali


• FONTES: NBC News, CBC, FreakTV, Regina Leader Post, Global News.

393 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page