top of page
  • Foto do escritorRodolfo Brenner

#6 - Brian Shaffer | DESAPARECIDOS

Em 2006, um universitário é filmando entrando em um bar com seus amigos, porém ninguém o vê saindo, e ele desaparece de forma misteriosa.


Essa é a versão escrita do episódio #6 - Brian Shaffer:



Brian Randall Shaffer nasceu em 25 de fevereiro de 1979 em Pickerington, Ohio, uma cidade que na época tinha menos de 20 mil habitantes e ficava a 30 minutos de carro de Columbus, a capital do estado. Ele era filho de Randy e Renee Shaffer, e também tinha um irmão chamado Derek. Brian gostava muito de viajar para a praia e também de música, tanto que um dos seus sonhos era ter uma banda que tocasse o mesmo estilo do cantor Jimmy Buffett, que pra quem não conhece é um cantor de folk rock.

Ele se formou em microbiologia na Ohio State University e depois começou a cursar medicina no mesmo local em 2004. Quando estava no segundo ano do curso a mãe do Brian acabou falecendo vítima de um câncer, um momento que, segundo seus amigos, foi muito difícil para ele já que eles eram bem apegados.


Brian e sua mãe, Renee


Ainda durante a faculdade ele começou a namorar uma colega chamada Alexis Wagoner. O casal estava bem e feliz, tanto que eles planejavam viajar juntos para Miami nas férias. A Alexis acreditava que ele iria propor ela em casamento durante essa mesma viagem.


Brian e Alexis


No dia 31 de março de 2006, uma sexta-feira, Brian encontrou com o seu pai, Randy, para jantar. Ele disse que planejava encontrar com amigos mais tarde para beber e comemorar a chegada das férias. O pai do Brian notou que ele estava muito cansado por ter virado várias noites estudando para as provas finais, porém não se opôs ao filho sair.

Naquela noite ele encontrou com um amigo chamado William, cujo apelido era Clint, e os dois foram até o Ugly Tuna Saloona, um bar e restaurante que ficava no segundo andar de um prédio próximo ao campus da universidade. Uma hora depois ele ligou para a namorada, a Alexis, e disse que a amava. Ela não estava no campus, pois estava visitando a família dela na cidade de Toledo, também em Ohio.

Brian e Clint saíram daquele bar e visitaram vários outros na mesma noite, tomando uma bebida em cada um. Os dois encontraram uma amiga do Clint chamada Meredith Reed, que deu uma carona para eles de volta até o Ugly Tuna Saloona para uma última rodada, e é possível ver os 3 subindo a escada rolante e entrando no bar nas gravações da câmera de segurança à 1h15 da manhã.


Brian, Clint e Meredith nas gravações da câmera de segurança


Em algum momento da noite o Brian se separa do grupo de amigos e é filmado do lado de fora do bar falando com duas jovens perto da 1h55, e logo em seguida ele é visto entrando de volta no bar. Às 2h da manhã o bar fecha, o Clint e a Meredith começam a procurar pelo Brian, mas não o encontram nem do lado de dentro, nem do lado de fora. Presumindo que ele já tinha ido para casa, os dois foram embora.

No final de semana a Alexis e o Randy tentaram entrar em contato com Brian, mas não tiveram sucesso. A Alexis então vai até o apartamento do namorado e encontra o local intacto e o carro dele estacionado, porém não há sinais dele. Na segunda-feira ela vai até o aeroporto na esperança de que o Brian aparecesse para aquela viajem para Miami e explicasse o que tinha acontecido, porém ele não apareceu e finalmente foi dado como desaparecido.


Brian conversando com duas mulheres: essa é a última imagem conhecida dele


As buscas começaram no Ugly Tuna Saloona, que foi o último local que o Brian foi visto. A polícia olhou as câmeras de segurança do local, porém não havia nenhuma filmagem do Brian saindo. Foi observado que as câmeras do local poderiam não ter filmado Brian, mas para isso elas precisavam ser movidas manualmente.

Tirando a única entrada do bar, havia uma outra que quase nunca era utilizada e que dava para um canteiro de obras. Foi teorizado que, pela quantidade de álcool que Clint disse que Brian ingeriu durante a noite, seria muito difícil que ele conseguisse se guiar até essa saída e passasse pelo canteiro de obras sem ser visto. Foram revistadas as lixeiras dos locais próximos, aterros sanitários e o sistema de esgoto do local, além de uma extensa busca com cães farejadores, porém não havia sinais dele.

Ugly Tuna Saloona: o bar fechou em 2018


A família e os amigos começaram a distribuir panfletos com a foto do Brian e que pediam por informações: na época do caso o Brian tinha 27 anos, 1,88 de altura, entre 72 e 75kg, cabelos escuros e olhos cor de avelã. Além disso, ele tinha uma tatuagem que era o símbolo da música Alive do Pearl Jam.

A polícia submeteu diversas testemunhas ao teste do polígrafo, porém uma pessoa não aceitou fazer: Clint, que também contratou um advogado. Em 2009, as duas mulheres que foram vistas com o Brian do lado de fora do bar foram identificadas, porém afirmaram que nunca tinham sido chamadas para fazer o teste.

Os investigadores tinham esperança de encontrar alguma resposta no celular do Brian, porém ele desapareceu junto com ele e não havia nada suspeito no histórico de ligações. A Alexis conta que tentou ligar diversas vezes por vários meses, porém sempre ia para a caixa postal, até que em setembro o telefone chegou a tocar três vezes antes de cair. A operadora de telefonia que o Brian usava disse que isso pode ter sido causado por um erro no sistema. O telefone dele não era compatível com GPS, ou seja, não era possível localizar com exatidão a última localização, porém um sinal foi detectado em uma torre de celular em Hilliard, mais ou menos 22 km de Columbus, mas essa dica também não ajudou.

A família recebeu uma dica de um vidente afirmando que o corpo do Brian estaria em um corpo d'água. O pai e o irmão junto com outras pessoas procuraram ao longo das margens do Rio Olentangy, que passa perto do campus da universidade e do apartamento do Brian, porém nada foi encontrado.


Cartaz do FBI com as descrições de Brian Shaffer


Praticamente todas as teorias sobre o caso levam em consideração que Brian não é visto pelas câmeras porque saiu pela outra porta. A primeira diz que talvez ele tenha caído e se machucado no canteiro de obras, e o dono do bar, com medo de um processo, conseguiu se livrar do corpo. A segunda teoria também envolve o pessoal do bar: Brian teria se metido em uma briga com outro cliente ou com algum funcionário e também acabou morrendo. Seu corpo então foi retirado pela outra saída.

A área ao redor do campus possuía alta taxa de criminalidade, e levando isso em consideração é teorizado que ele pode ter sido sequestrado ou ter sido vítima de um latrocínio, mas seria estranho nada ter sido pego pelas câmeras de segurança dos arredores ou não haver nenhuma testemunha. E se ele foi sequestrado, nunca pediram resgaste.

Uma teoria muito difundida em caso de desaparecidos é a de que a pessoa fugiu para viver uma vida nova em outro lugar, e essa teoria apareceu também apareceu: quem acredita diz que ele fez isso para seguir seu sonho de viver em um local tranquilo e ter uma banda, fugindo do estresse da faculdade e das lembranças sobre a morte da mãe. Inclusive a Alexis disse que o Brian pediu para ela ir embora com ele em um momento, e em outro, alguns dias de desaparecer, ele disse para ela seguir em frente e encontrar outra pessoa.

Uma última teoria interessante é a de que Brian teria sido vítima de um serial killer conhecido como Smiley Face (Face Sorridente): existe uma teoria formulada por dois detetives aposentados de Nova York sobre um grupo de assassinos que mataria estudantes universitários do sexo masculino e jogaria seus corpos em rios e lagos para parecer um acidente. Perto do local dos assassinatos eles desenhariam uma face sorridente. O fato dos desenhos serem sempre diferentes indicariam que isso seria o trabalho de mais de uma pessoa. Brian teria sido uma vítima, apesar de nunca ter sido encontrado ou liberado pela polícia o desenho desse caso.

Apesar de algumas pessoas da área darem suporto para a teoria, a grande maioria não acredita nela e até mesmo o FBI lançou uma nota dizendo que não encontraram nenhuma evidência de que os casos colocados na conta do Smiley Face tinham qualquer ligação.



Em 2008, infelizmente o Randy, pai de Brian, acabou falecendo de maneira trágica depois que um galho enorme caiu sobre ele enquanto ele estava no jardim. Em 2010, quatro anos depois de desaparecimento, o Pearl Jam se apresentou na Columbus 'Nationwide Arena, um local que ficava mais ou menos três quilômetros do Ugly Tuna Saloona. O vocalista Eddie Vedder dedicou a música "Come Back" ao Brian, que era um grande fã da banda e disse “onde quer que você esteja, ainda estamos pensando em você”.

Em 2016, quando completou 10 anos do desaparecimento, algumas pessoas foram entrevistadas, dentre elas o Derek e a Alexis. Alexis conseguiu seguir com sua vida, conheceu outra pessoa, se casou e teve filhos, mas disse que nunca esqueceu Brian. Derek passou anos se sentindo culpado por não ter evitado o destino de Brian. Ele disse em entrevista: “e se eu estivesse lá naquela noite? As coisas teriam sido diferentes? Meu irmão ainda estaria aqui?”.


Derek Shaffer


Em 2020, a foto de um sem-teto em Tijuana, no México, chamou a atenção pela semelhança com o Brian. O FBI chegou a investigar, mas foi confirmado que não era ele.

Esse ano, quase 15 anos depois do desaparecimento, foi divulgada uma progressão de idade do Brian, que hoje teria 42 anos. As buscas pelo Brian continuam e o Central Ohio Crime Stoppers oferece uma recompensa de US$ 100.000 por informações que levem ao seu paradeiro.


Progressão de idade: hoje Brian teria 42 anos


• FONTES: The Columbus Dispatch, Columbus Monthly, Aventuras na História, Columbus Navigator, All That's Interesting, WBNS-TV.

607 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page