top of page
  • Foto do escritorRodolfo Brenner

#11 - Richard Speck, o Assassino de Enfermeiras | SERIAL KILLER

Na madrugada do dia 13 para o dia 14 de julho de 1966, uma verdadeira chacina aconteceu quando 8 estudantes de enfermagem foram assassinadas sem chance de defesa na cidade de Chicago. Mas quem faria isso? E por quê?


Essa é a versão escrita do episódio #11 - Richard Speck, o Assassino de Enfermeiras:



Richard Benjamin Speck nasceu na cidade de Kirkwood, Illinois, em 1941. Ele era o sétimo filho de Benjamin Franklin Speck e Mary Margaret Carbaugh. Logo após o seu nascimento, sua família se mudou para Monmouth, onde o casal teve mais uma filha. A mãe de Richard era uma dona de casa muito religiosa e completamente contra a entrada de bebidas, cigarros e jogos de azar no lar, enquanto seu pai trabalhava como empacotador na Western Stoneware. Richard era muito apegado ao pai, e infelizmente ele faleceu de forma repentina quando ele tinha apenas 6 anos.

Em 1950, três anos após a morte de seu pai, sua mãe se casou novamente com um homem chamado Carl Lindberg e a família se mudou para o Texas. Carl era um vendedor de seguros e tinha uma longa ficha criminal por falsificação e direção perigosa. Ele também bebia muito e tinha comportamentos agressivos com a família Speck, tanto que o Richard e a sua irmã mais nova, Carolyn, chegaram a ficar com uma das irmãs mais velhas, que já era casada, até as coisas se acalmarem.

Em 1952, mais uma perda na família: o irmão mais velho de Richard, Robert, morreu em um acidente de carro aos 23 anos de idade. Isso foi um gatilho forte que fez com que ele começasse a beber aos 12 anos de idade, para contragosto da mãe. Para piorar, ele foi preso em 1955, aos 13 anos, por invasão de propriedade, e começou a beber cada vez mais: aos 15 ele já estava passando a maior parte dos seus dias completamente embriagado.

Richard teve várias dificuldades na escola, chegando a repetir a oitava série porque ele se recusava a usar óculos e tinha muita dificuldade para ler. Ele também era muito tímido e não falava nada em sala de aula porque tinha medo de quando as pessoas olhavam para ele. Ele começou a nona série em 1957, porém reprovou em todas as matérias e abandonou a escola aos 16 anos.


Richard com 6 anos

A família se mudou várias e várias vezes, porém pararam em Dallas. No começo da década de 60, Richard trabalhou como operário na parte de engarrafamento na empresa de refrigerantes 7 Up. Nessa época ele conheceu Shirley Annette Malone na Feira do Estado do Texas. Eles começaram a se relacionar e ela ficou grávida depois de apenas três semanas de namoro. Nessa época ela tinha 15 anos e ele tinha 20. Por causa disso, eles resolveram se casar: a cerimônia foi em 19 de janeiro de 1962, e eles passaram a dividir um apartamento com a sua irmã irmã Carolyn e o marido dela. Pouco tempo depois, Mary, a mãe do Richard e da Carolyn, se separou do Carl e também foi morar junto com eles.

A filha de Richard e Shirley nasceu em 1962, e foi batizada como Robbie Lynn Speck. O Richard não viu o nascimento dela porque estava cumprindo uma sentença de 22 dias de prisão por perturbar a paz enquanto estava embriagado. Apenas um ano depois ele foi preso novamente, dessa vez por falsificação e roubo, e condenado a três anos de prisão. Ele cumpriu 16 meses na Penitenciária Estadual do Texas e foi colocado em liberdade condicional, porém isso não durou nem uma semana: ele foi preso alguns dias depois por tentar atacar uma mulher com uma faca no estacionamento de seu prédio, sendo condenado a 16 meses de prisão. Por um erro do sistema, ele acabou sendo liberado após cumprir apenas seis meses.

Após esse período, ele trabalhou por três meses como motorista da Patterson Meat Company, mas foi demitido depois de bater os carros da empresa seis vezes e faltar diversos dias. Nesse período a Shirley pediu divórcio e ele acabou indo morar com outra mulher, que trabalhava como bartender. Em janeiro de 1966, ele foi preso novamente, dessa vez por esfaquear um homem durante uma briga no mesmo bar que sua namorada trabalhava, porém seu advogado conseguiu reverter a prisão em uma multa. Richard não pagou a multa e foi preso por 3 dias. No total, Richard foi preso 41 vezes em Dallas.

Em março de 1966, ele roubou cerca de 70 caixas de cigarros de uma mercearia e revendeu elas no porta-malas do seu carro no estacionamento do supermercado. A polícia rastreou o carro até ele, porém não o encontraram. Foi expedido um mandado de prisão por roubo, porém ele pegou um ônibus e fugiu para Illinois.


Localização da cidade de Monmouth


Quando chegou no estado, ele ficou alguns dias em Chicago com sua irmã Martha, porém voltou para Monmouth depois de alguns dias. Por lá ele permaneceu na casa de alguns amigos da família e conseguiu um emprego graças a outro irmão que morava na cidade. Não demorou muito para que ele voltasse a cometer crimes: ele foi detido por ameaçar um homem em um banheiro de bar com uma faca. No dia 3 de abril, ele invadiu uma casa, ameaçou, estuprou e roubou Virgil Harris, uma mulher de 65 anos, porém não foi preso por não ter sido reconhecido.

Uma semana depois, Mary Kathryn Pierce, uma garçonete de 32 anos que trabalhava em um bar no centro de Monmouth foi vista saindo do local perto do meio-dia, porém desapareceu. Seu corpo foi encontrado no dia 13, e ela havia sido golpeada com uma faca na região do abdômen. Coincidentemente, o local onde ela foi encontrada em chiqueiro que Richard tinha ajudado a construir um mês antes.

A polícia pediu que ele ficasse na cidade para ser questionado sobre o crime, e quando eles foram interrogá-lo no dia 19 de abril, descobriram que ele tinha fugido. Uma busca em seu quarto revelou um rádio e bijuterias que eram de Virgil Harris, além de outros itens roubados de duas casas no mês anterior.

No mesmo dia que ele fugiu de Monmouth ele voltou para o apartamento da irmã em Chicago. Para explicar a sua chegada repentina, ele disse que precisou deixar a cidade por causa de alguns traficantes de drogas que o estavam ameaçando. Seu cunhado, Gene Thornton, havia servido na Marinha dos Estados Unidos, e pensou que lá poderia ser um bom local para que Richard pudesse recomeçar.

Ele passou pouco tempo embarcado, porque precisou ser operado de uma apendicite. Depois de se recuperar, ele voltou para uma embarcação, porém foi obrigado a desembarcar por arrumar confusão após ficar embriagado. Ele passou mais um tempo embarcando e desembarcando de diferentes navios e sendo enviados para localizações diferentes. Por causa das inúmeras confusões que ele se metia, sua irmã não permitiu mais que ele ficasse em sua casa.

No dia 12 de julho, ele chegou até um escritório da Marinha, porém sua vaga já havia sido preenchida. Com raiva e sem lugar para ficar, acabou dormindo em uma casa ainda em construção. - Na quarta-feira, 13 de julho, Richard estava conversando com a irmã e o cunhado no carro dos dois. Eles estavam estacionados perto da Luella Elementary School, que ficava em frente a uma casa que servia como dormitório para estudantes de enfermagem.

Sua irmã deu a ele US$ 25, e ele passou o resto do dia bebendo em diferentes bares. Em um deles, conheceu uma mulher de 53 anos chamada Ella Mae Hooper. Depois de beberem juntos, ele a levou para o quarto de uma pensão, estuprou e roubou uma pistola calibre .22 que estava com ela. Por volta das 22h20, ele saiu do local armado invadiu o dormitório das enfermeiras, e foi lá que ele cometeu o seu pior crime.


A casa das enfermeiras


Richard entrou pela janela do dormitório perto das 23h. Primeiramente ele bateu na porta da estudante de intercâmbio filipina Corazon Amurao. Lá estavam outras duas estudantes, Merlita Gargullo e Valentina Pasion, todas com 23 anos. Com uma arma, Richard, ordenou que o trio o seguisse para o próximo quarto, onde estavam Patricia Matusek e Pamela Wikening de 20 anos, e Nina Jo Schmale, de 24.

Algumas das mulheres disseram para que as outras que confiassem e fizessem tudo o que Richard queria, porque ele estava calmo e conversando com elas, pensando que poderia se tratar de um roubo simples. - Richard começou a levar uma por uma para outro local, de onde as outras ouviam gritos abafados. Lá elas eram esfaqueadas ou estranguladas. No meio disso, outras duas estudantes, Suzanne Farris e Mary Ann Jordan, acabaram voltando ao dormitório e foram esfaqueadas. De madrugada, Gloria Jean Davy, de 22 anos, voltou ao dormitório após passar o dia com seu namorado. Ela foi surpreendida por Richard, que a estuprou e a estrangulou.


As vítimas: Gloria Jean Davy (22), Mary Ann Jordan (20), Suzanne Farris (21), Valentina Pasion (23), Patricia Matusek (20), Merlita Gargullo (23), Pamela Wilkening (20) e Nina Schmale (24)


O que acontece é que, por causa dessas mulheres que chegaram depois, Richard perdeu a conta da quantidade de estudantes na casa e acabou deixando uma passar ilesa: Corazon Amurao, a primeira que foi rendida. Enquanto ele levava as mulheres para o outro quarto, ela rastejou até debaixo de uma cama, onde permaneceu até as 6h da manhã, e só saiu depois que teve certeza de que ele tinha ido embora.

Ela pulou uma janela e começou a gritar pelas ruas que suas amigas tinham sido assassinadas. A cena chamou a atenção de um carro de polícia que estavam em patrulha, que a levou para a delegacia. Lá ela deu as descrições detalhadas do suspeito, como uma tatuagem escrito "Born To Raise Hell".

O crime chocou a cidade, e o retrato falado estava em todos os jornais. Dois dias depois, um homem chamado Claude Lunsford estava bebendo com um amigo na escada de incêndio do Hotel Starr quando reconheceu Richard como um dos hóspedes. Ele chamou a polícia, que, por algum motivo incerto, não foi até o local.

Naquela noite, Richard tentou se matar cortando seu pulso direito e o cotovelo esquerdo, porém ligou para a recepção dizendo que tinha sofrido um acidente. O recepcionista do hotel chamou a emergência, que o levou para o Cook County Hospital. Lá, ele foi reconhecido pela tatuagem por um médico residente chamado LeRoy Smith, que acionou a polícia e prendeu Richard Speck.


O retrato falado do suspeito

Antes do julgamento, 6 médicos fizeram um relatório sobre a saúde mental de Richard, e concluiu que ele não era insano. Enquanto aguardava o julgamento, ele participou de sessões com o psiquiatra da prisão de Cook County, o Dr. Marvin Ziporyn. Ele concluiu que Richard Speck era obsessivo-compulsivo e tinha problemas com mulheres por causa de um trauma que ele sofreu. Além disso, ele afirmou que Richard estava apto para ser julgado pelos seus crimes, porém houve um agravamento de sua condição mental devido ao uso de álcool e drogas.

Apesar do extenso relatório, o Dr. Marvin Ziporyn não foi chamado para ser testemunha nem na defesa, nem de acusação, porque na mesma época ele estava escrevendo um livro sobre o caso, que foi publicado em 1967. Além disso, ele foi demitido do posto de psiquiatra da Cook County.


Dr. Marvin Ziporyn escreveu o livro "Born to Raise Hell" antes do julgamento


O julgamento começou em 3 de abril de 1967, em Peoria, Illinois. Corazon Amurao foi a primeira a ser ouvida, e ao ser questionada se poderia identificar o assassino de suas colegas, ela se levantou, caminhou até Richard, apontou o dedo para ele e disse: "Este é o homem".

Além do testemunho da sobrevivente, as impressões digitais que foram recolhidas na casa batiam com as de Richard. O julgamento só terminou em 15 de abril, quando o júri considerou Richard Speck culpado pelo assassinato das 8 enfermeiras e sugeriu a pena de morte na cadeira elétrica, que foi aceita pelo juiz Herbert J. Pasche. Os advogados entraram com recurso, porém a Suprema Corte de Illinois manteve a condenação.


Corazon Amurao: o depoimento da sobrevivente foi uma peça chave para condensar Speck


Nos anos 60, um estudo publicado pelas revistas Nature e The Lancet examinaram os cromossomos de pacientes de um hospital de segurança da Escócia e encontrou um cromossomo Y extra em nove dos pacientes. A conclusão foi de que pacientes homens com o cariótipo XYY são mais agressivos e violentos do que homens com cariótipo XY. Mais tarde ficou concluído que essa afirmação não era verdadeira, porém, por algum tempo, a presença desse cromossomo extra foi utilizada como recurso de defesa para assassinos.

No caso de Richard, a defesa argumentou que ele possuía o cromossomo extra, e alguns periódicos da época erroneamente colocaram ele como um exemplo desse “distúrbio”. Os cromossomos dele foram cariotipados duas vezes, e nas duas vezes eles se apresentaram apenas como XY, jogando por terra que a culpa poderia ser do cromossomo Y extra.


Cariotipagem de um indivíduo com um cromossomo Y entra


Em junho de 1972, enquanto estava preso, a Suprema Corte dos EUA declarou a pena de morte inconstitucional, de modo que a única opção da Suprema Corte de Illinois era ordenar que Richard Speck fosse novamente condenado à prisão pelo tribunal original: em 21 de novembro de 1972, o juiz Richard Fitzgerald sentenciou o réu a cumprir de 400 a 1.200 anos de prisão. Os advogados do caso tentaram a liberdade condicional 7 vezes enquanto Richard estava cumprindo pena, porém todas as vezes o recurso foi negado.

Richard ficou preso na Stateville Correctional Center em Crest Hill, Illinois. Lá ele era descrito como um preso solitário, que gostava de ouvir música, mantinha uma coleção de selos e adotou um par de pardais que voou para dentro de sua cela como animais de estimação. Apesar disso, ele não era um preso modelo: foi pego com álcool e drogas mais de uma vez. O diretor da prisão também não gostava dele e o considerou "um grande estorvo" por pedir várias vezes por novas camisas e um rádio.

Durante a vida na prisão, ele deu apenas uma entrevista: foi em 1978, ao colunista Bob Greene do Chicago Tribune. Ele confessou publicamente os assassinatos pela primeira vez, apesar de dizer que não se lembrava daquela noite. Ele também disse que pretendia sair da prisão até o ano 2000.

Em dezembro de 1991, Richard foi levado às pressas para o Silver Cross Hospital em Joliet, Illinois, após reclamar de fortes dores no peito. Ele sofreu um ataque do coração e morreu na manhã do dia 5, um dia antes do seu aniversário de 50 anos. Ele foi cremado e até hoje ninguém sabe onde suas cinzas foram jogadas.


Capa da revista The Saturday Evening sobre os crimes de Richard Speck


Em maio de 1996, o repórter Bill Kurtis recebeu, de forma anônima, fitas de vídeo feitas no Stateville Correctional Center em 1988: elas mostravam Richard e outro detento cheirando cocaína e fazendo sexo oral. No vídeo, o cameraman questiona se Richard matou as enfermeiras, e ele responde "claro que sim”. Quando é perguntado qual foi o motivo do massacre, ele apenas responde que “não era a noite deles".

Além disso, uma das coisas que mais chamou a atenção foi que Richard estava com seios crescidos e usando calcinha. Depois que os responsáveis pelo Stateville Correctional Center ficaram sabendo do conteúdo do vídeo, uma investigação interna desmantelou uma organização de repasse de permitia a entrada de álcool, drogas, dinheiro, roupas e até tratamento hormonal para os presos. Na época não existia muito debate sobre transição sexual, e por isso não possível afirmar se Richard se submeteu ao tratamento porque se considerava uma mulher trans.


Vídeo feito no Stateville Correctional Center: Richard estava com seios crescidos e usando calcinha


Existem alguns filmes baseados na vida de Richard Speck e no massacre das enfermeiras como: “Violated Angels” de 1967, “Naked Massacre” de 1976, “Speck” de 2002, e “Massacre de Chicago” de 2007. Ele também apareceu ou foi citado em algumas séries como American Horror Story, Criminal Minds e Mindhunter. Nessa última, foi interpretado pelo ator Jack Erdie.


Jack Erdie (à direita) interpretou Richard Speck na série Mindhunter


Corazon Amurao não deu entrevistas sobre o caso até 1991, quando falou com exclusividade para a ABC: ela disse que só aceitou falar depois da morte de Richard Speck, porque teria a certeza de que ele não poderia ir atrás dela. Ela também disse que a experiência fez ela passar de uma pessoa alegre para alguém com medo. Perguntada se ela acreditava que Richard Speck estaria no inferno, ela respondeu "espero que sim".


Amurao em entrevista para a ABC em 1991

• FONTES: Aventuras na História, Biography.com, Britannica, All That's Interesting, History, Investigation Discovery, Oxygen, Murderpedia.

292 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page