top of page
  • Foto do escritorRodolfo Brenner

#51 - Novidades de Casos: Emanuela Orlandi, Marco Aurélio, A Senhora das Dunas... | UPDATES

Chegamos à marca de 50 episódios, 50 histórias sobre crimes, desaparecimentos, serial killers e mistérios, alguns deles sem solução. Mas, nesse meio tempo, algumas novidades surgiram em alguns desses casos, e por isso resolvemos fazer um episódio especial trazendo 8 updates de casos que nós previamente já contamos aqui no Clube dos Detetives.


Essa é a versão escrita do episódio #51 - Novidades de Casos: Emanuela Orlandi, Marco Aurélio, A Senhora das Dunas... | UPDATES:



#2 - Emanuela Orlandi:


No episódio #2 falamos sobre o caso da Emanuela Orlandi, uma adolescente de 15 anos que desapareceu em 1983 enquanto voltava de uma aula de música. Emanuela morava no Vaticano, seu pai era um funcionário de confiança do Papa João Paulo II e o seu desaparecimento é considerado até hoje um dos mais misteriosos da Itália. Dentre as hipóteses, foi levantado a possibilidade de ela ter fugido, ter sido sequestrada pela máfia italiana, por grupos radicais ou até pela própria Igreja Católica.

Em outubro de 2022, a Netflix lançou a minissérie documental "A Garota Desaparecida do Vaticano", que acabou trazendo novamente os debates sobre o caso na Itália. Uma das pessoas entrevistadas foi uma amiga da Emanuela que deu um depoimento anônimo dizendo que, uma semana antes do desaparecimento, a Emanuela confessou que teria sofrido contínuos abusos sexuais de uma pessoa próxima ao Papa, levantando a possibilidade de que pode ter sido o motivo do seu desaparecimento.

Corroborando com essa teoria, em dezembro de 2022, o jornalista italiano Alessandro Ambrosini publicou uma gravação exclusiva de um homem que confessava que Emanuela Orlandi teria sido sequestrada pela Banda della Magliana, um braço da máfia italiana que atuava em Roma. Segundo ele, o sequestro tinha sido feito a pedido de alguém de dentro do Vaticano.

Depois dessas informações novas, em 2023 foi anunciado que o Vaticano reabriria a investigação sobre o desaparecimento da Emanuela, e o responsável será o promotor de Justiça do Vaticano, Alessandro Diddi. O irmão da Emanuela, Pietro, que atualmente é o porta-voz da família, comentou que a reabertura era bastante positiva e pediu para o Papa Francisco que a investigação seja feita com “honestidade e transparência”.


Série da Netflix sobre o desaparecimento de Emanuela fez com que a polícia reabrisse o caso


#3 - Jeffrey Dahmer:


No episódio #3 falamos sobre Jeffrey Dahmer, que ficou conhecido como o Canibal de Milwaukee. O caso em si não teve nenhum update, mas o que aconteceu foi que em 2022 estreou uma minissérie chamada "Dahmer: Um Canibal Americano", produzida pelo Ryan Murphy, que também criou Glee e American Horror Story. Quem interpretou o Dahmer foi o ator Evan Peters, que inclusive ganhou um Globo de Ouro na categoria Melhor ator em série limitada.

Acontece que a série gerou muita polêmica: a Netflix foi acusada de lucrar em cima da experiencia traumática dos familiares, e também de não ter consultado eles sobre o conteúdo que seria reencenado. Um exemplo disso foi a irmã da vítima Errol Lindsey, Rita Isbell, que fez uma declaração bastante comovente no julgamento do Jeffrey em 1992. Ela não foi informada que apareceria na série e que seu discurso seria reencenado, e que isso causou nela um mal estar muito grande.

Além disso, também tiveram polêmicas internas, como um assistente de produção acusando a equipe de maus tratos e o fato da Netflix ter colocado a série na categoria “LGBTQIA+”, mas retirado posteriormente (lembrando que Dahmer era gay e quase todas as suas vítimas também eram). Alguns críticos ainda disseram que a série focava muito mais em cenas chocantes e no próprio Dahmer do que em trazer uma nova perspectiva das vítimas. Mesmo assim, a série foi um sucesso de audiência, e também teve críticas positivas, como o foco em mostrar que o racismo e a homofobia da polícia de Milwaukee contribuiu para que Dahmer continuasse agindo por bastante tempo.


Evan Peters como Dahmer na série "Dahmer: Um Canibal Americano"


#7 - O Assassino do Zodíaco:


No episódio #7 nós falamos sobre o Assassino do Zodíaco, talvez o caso mais famoso de serial killer não identificado da história, juntamente com o Jack, o Estripador. A última informação é que apareceu um novo suspeito: o autor Jarett Kobek realizou uma extensa investigação particular e apontou em seu livro “How to Find Zodiac” para um homem chamado Paul Doerr, que já é falecido desde 2007. Ele entrou na lista de suspeitos depois que seu DNA combinou com o DNA na cena do crime de dois assassinatos até então sem solução na década de 80.

Sobre a vida pessoal de Paul, Jarett descobriu que ele tinha histórico de crimes, era um pai abusivo e também um exímio escritor, tendo trabalhado como escriturário de documentos navais de Fairfield. Paul Doerr tinha algumas anotações interessantes, como a receita de uma bomba com nitrato de amônio e fertilizante, a mesma receita usada em uma das cartas do Zodíaco, inclusive com o mesmo erro na fórmula. Assim como o Zodíaco, Doerr também gostava de criptogramas, e teria aprendido a técnica através de um boletim informativo do grupo Minutemen, uma organização da qual Doerr era membro. Ele inclusive costumava criar criptogramas e quebra-cabeças para a própria filha resolver. Manuscritos mostraram que tanto o Zodíaco quanto o Doerr usaram uma mesma seta direcional específica em seus diagramas.

Na época dos assassinatos, Doerr trabalhava em um estaleiro naval em Vallejo, tinha a idade, a altura e aparência física correspondentes à descrição do Zodíaco. A filha de Doerr inicialmente foi cética em relação às alegações, porém, acabou se convenceu de que ele pode ter sido o Assassino do Zodíaco devido ao seu histórico. Embora Kobek reconheça que as evidências ainda são circunstanciais, ele enviou todo o material que conseguiu para a polícia, que até o momento (fevereiro de 2023) não se pronunciou.

A notícia desse novo suspeito chamou a atenção de autoridades e entusiastas do assunto, como o promotor distrital de Los Angeles e o escritor Paul Haynes, que foi um dos co-autores do livro “I'll Be Gone in the Dark”, responsável pela prisão do Golden State Killer anos depois de seus crimes. Paul Haynes disse que Doerr é “o melhor suspeito do Zodíaco que já apareceu”.

Paul Doerr, o novo suspeito de ter sido o Assassino do Zodíaco


#10 - Marco Aurélio:


No episódio #10 nós falamos sobre o desaparecimento do escoteiro Marco Aurélio no Pico dos Marins, um dos casos mais famosos de desaparecimento do Brasil. No ano passado o Globoplay lançou o podcast “Pico dos Marins: O Caso do Escoteiro Marco Aurélio”, produzido por Marcelo Mesquita e dirigido pelo Ivan Mizanzuk, do Caso Evandro e do Caso Altamira.

A investigação do podcast é bem profunda, com muitas informações novas, entrevistas, relatos da polícia e áudios. Dando um pequeno spoiler, nos dois últimos episódios foi trazida à tona uma nova teoria, a de que Marco Aurélio poderia ter sido morto por João, um dos filhos do seu Afonso, o dono da chácara onde os meninos estavam acampados.

O mais estranho é que, alguns anos depois, o próprio João desapareceu. Essa teoria nunca foi investigada pela polícia. Em novas buscas realizadas no local, foi encontrado uma espécie de material orgânico que foi mandado para a análise, mas até o fechamento do podcast Pico dos Marins, o resultado não tinha sido divulgado.


O podcast "Pico dos Marins" jogou uma nova luz para a investigação do desaparecimento de Marco Aurélio


#13 - JonBenét Ramsey:


No episódio #13, nós trouxemos a terrível história do assassinato de JonBenét Ramsey no natal de 1996. Um livro que será lançado no dia 28 de fevereiro questiona a intenção da polícia em colocar os pais como suspeitos, e acrescenta que novos documentos revelaram que as evidências de DNA encontradas no corpo de JonBenét não corresponde a ninguém da família. Aparentemente, uma cópia dos resultados do DNA conseguido pelos autores pode ser o único documento sobre o caso que não foi editado ou censurado, colocando em cheque a confiança da polícia de Boulder, acusada de ter ignorado a evidência de DNA que exonerou os pais de JonBenét e de não ter focado em buscar o verdadeiro assassino.

Atualmente o caso está sendo revisitado por uma equipe especialista em casos arquivados, mas, apesar disso, ele está parado devido a um desentendimento entre a polícia de Bouder e o pai de JonBenét, que gostaria que as provas que estão sob custódia fossem entregues a ele, para uma investigação particular. Ele acredita que uma agência independente pudesse estabelecer um perfil de DNA mais completo do suspeito, comparando com o DNA familiar disponível nos bancos de dados.


Capa do livro “Lou and JonBenét", de John Anderson


#22 - Suzane von Richthofen:


No episódio #22, contamos sobre o caso da família von Richthofen, um crime que chocou o Brasil. Se você usa as redes sociais, provavelmente você já sabe dessa informação, mas Suzane von Richtofen foi para o regime aberto e deixou a penitenciaria de Tremembé. Após a soltura, ela abriu um ateliê virtual de acessórios em tecido, personalização de bolsas, chinelos e outros produtos exclusivos e feitos a mão.

Isso abriu um debate enorme nas redes sociais sobre ressocialização, prisão perpétua, gravidade dos crimes e incentivo ao trabalho. Muitos criticam a soltura e dizem que o crime que ela cometeu é muito grave para ela se ressocializar, enquanto outros lembram que o intuito do sistema brasileiro é justamente dar oportunidade para que essas pessoas recomecem. Vale ressaltar que existe até um projeto de lei (4506/2019) que prevê benefício fiscal ao imposto sobre a renda de pessoas jurídicas, com o objetivo de incentivar a ressocialização de presos e egressos.


Suzane deixou a prisão no dia 11/01


#34 - Malaysia Airlines 370:


No episódio #34 nós falamos sobre o desaparecimento do avião da Malaysia Airlines 370, um dos maiores mistérios da história da aviação. Uma das grandes dificuldades das investigações foi a falta de destroços, o que poderia ajudar a achar uma localização mais exata caso o avião tenha realmente caído no mar. Apesar de ficarem anos procurando, o que ninguém sabia até agora é que um pescador da ilha de Madagascar encontrou um painel metálico em 2017, e ele levou o artefato para casa. Sem saber direito o que fazer com aquilo, sua esposa passou a usar como tábula de passar roupa.

Em dezembro de 2022, um pesquisador conseguiu rastrear a peça e descobriu que aquela tábua de passar na verdade era parte do trem de pouso do avião. A forma que ele se encontrava indica que o trem de pouso foi aberto antes de uma queda em alta velocidade. De acordo com os especialistas Blaine Gibson e Richard Godfrey, a fusão do efeito de velocidade máxima juntamente com o a posição do trem de pouso ajudariam a mergulhar o avião o mais rápido possível, escondendo as evidências do acidente e colaborando com a teoria de que o piloto jogou o avião no mar propositalmente.


Blaine Gibson e Richard Godfrey com parte do avião


#35 - A Senhora das Dunas:


No episódio #35 nós falamos sobre o caso da Senhora das Dunas, um corpo feminino que foi encontrado na região costeira de Massachussets. O caso ficou conhecido depois que Joe Hill, o filho do Stephen King, descreveu uma teoria de que a vítima seria uma figurante do filme “Tubarão”.

Quase 50 anos depois, a Senhora das Dunas foi finalmente identificada: trata-se de Ruth Marie Terry, que na época do caso tinha 37 anos e era natural do Tennessee. A notícia foi dada em uma coletiva de imprensa realizada pela agência do FBI de Boston juntamente com o chefe da polícia de Provincetown, o promotor distrital de Cape and Islands e o primeiro procurador-assistente dos EUA.

A descoberta só foi possível graças a tecnologia do DNA genealógico, em que são usados bancos de dados públicos e privados para comparar o DNA das vítimas ou da cena do crime. Os investigadores ressaltam que, agora que a Senhora das Dunas tem um nome, o próximo passo é descobrir como ela saiu do Tennessee e foi parar em Massachussets, quase 2 mil km de distância. Além disso, estão pedindo ajuda ao público para enviar pistas que auxiliem na investigação do caso.


Ruth Marie Terry, a Senhora das Dunas


FONTES: UOL, G1, The Guardian, Pico dos Marins: O Caso do Escoteiro Marco Aurélio, Daily Mail, Correio Braziliense, The Economic Times, Cape Cod Times.

153 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

コメント


bottom of page