top of page
  • Foto do escritorRodolfo Brenner

#36 - Daylenn Pua: Mistério na Escadaria de Haiku | DESAPARECIDOS

Em 2015, um adolescente sobe uma trilha proibida e acaba desaparecendo. Quando a polícia começa a investigar, descobre uma misteriosa foto que pode ser a chave para a solução do caso.


Essa é a versão escrita do episódio #36 - Daylenn Pua: Mistério na Escadaria de Haiku:



Antes de falar sobre o caso, vamos falar sobre onde ele aconteceu: no Havaí. Para quem não sabe, é um arquipélago composto por 137 ilhas. É um destino turístico muito procurado, principalmente por surfistas e pessoas que gostam de ecoturismo. Também é um lugar de muita atividade vulcânica, frequentado por geólogos e vulcanólogos que estudam o fenômeno.

Uma das ilhas que compõem o Havaí é a ilha de Oʻahu, a terceira maior ilha do estado. Lá vivem cerca de um milhão de pessoas, mais de dois terços da população total do estado, a maioria na capital, Honolulu, que fica na costa sudeste da ilha. Próximo da capital existe uma trilha chamada de Ha'ikū Stairs, também conhecida como Startway to Heaven, ou Escada para o Céu. Essa trilha é na verdade uma grande escadaria de 3 km construída sobre a cordilheira Ko'olau, em 1942, pela Marinha dos Estados Unidos. Naquela época as escadas serviam para os soldados acessarem a Estação de Rádio Ha'ikū, uma instalação ultra-secreta que era usada para transmitir sinais de rádio para navios da Marinha que operavam em todo o Pacífico durante a Segunda Guerra Mundial.


A cidade de Honolulu


Após esse período, a Guarda Costeira dos Estados Unidos passou a usar a estação como um sistema de navegação, e na década de 50, promoveu uma reforma nas escadas substituindo os 3.922 degraus de madeira por metal. Na década de 70, o local foi aberto ao público e se transformou em um local turístico até 1987, quando a estação foi fechada, e por consequência, as escadas.

Em 2003, a cidade gastou cerca de US$ 875.000 para consertar as escadas, mas não abriu novamente ao público, e colocou seguranças nas entradas para evitar o acesso. Mesmo não sendo permitido usar a trilha, muitos aventureiros se arriscam para burlar os guardas e usar as escadas, e foi uma dessas pessoas que se tornou o personagem da nossa história.


Escadaria de Haiku


Daylenn Moke Pua tinha 17 anos (algumas fontes falam 18) e morava em South Kona, que ficava em outra ilha do Havaí, mas estava em Honolulu visitando sua avó. Não temos muitas informações sobre ele, mas o que sabemos é que ele estava no último ano da escola, gostava bastante de praticar esportes, incluindo trilhas e montanhismo, e ele também postava bastante nas redes sociais, principalmente no Facebook.


Daylenn Pua


No dia 26 de fevereiro de 2015, Daylenn disse para sua avó que queria subir a Escadaria de Haiku, mas ela tentou desencorajar ele dizendo que elas eram fechadas ao público, e que naquele ano uma tempestade tinha danificado parte do trajeto. Mesmo assim, na manhã daquele dia, Daylenn disse para a avó que ia fazer uma caminhada, pegou um ônibus e partiu em direção a Escadaria, postando uma mensagem no Facebook dizendo “e a trilha começa”.

Segundo as matérias, parece que ele não foi diretamente base das escadas, porque elas eram monitoradas por seguranças, mas sim por uma trilha próxima, e em algum ponto ele saiu dela, entrou na mata até chegar nela. Quando ele chegou nas escadas ele mandou mensagens e fotos do trajeto, mas de repente ele parou de se comunicar. Sua avó estranhou a sua demora, tentou ligar para ele, mas aparentemente o telefone estava desligado ou fora de área. Ela ligou para a polícia para informar o desaparecimento. Quando Daylenn desapareceu, ele estava usando camiseta branca de manga comprida, shorts de surf preto, chinelos e carregava uma mochila vermelha.


Último post do Facebook de Daylenn: "e a trilha começa"


Assim que a polícia começou a investigar, a avó comentou sobre a vontade do Daylenn de subir a Escadaria. As autoridades disseram que não poderiam subir na Escadaria durante a noite porque o tempo não estava bom, então as buscas só começariam na manhã seguinte. A polícia trabalhava até então com duas hipóteses: Daylenn não tinha voltado porque ele se machucou, ou porque tinha escurecido e ele tinha ficado com medo de fazer o caminho de volta, já que não existem pontos de iluminação durante a trilha. Foi feito o rastreio do celular dele, e o último ponto de acesso foi às 11h da manhã, próximo a entrada das escadarias. Só que assim que as buscas começaram, caiu uma grande chuva, dificultando ainda mais.

4 dias depois, duas pessoas que estavam andando em uma trilha próxima relataram ter ouvido gritos de socorro. As autoridades procuraram naquela região, mas não acharam nada. As buscas oficiais duraram até o dia 3 de março de 2015, quando foram suspensas. Parentes do Daylenn e voluntários locais continuaram a procurar, também foi criado um grupo no Facebook pela cunhada dele para procurar por pistas e atualizações, porém, nenhuma nova pista foi encontrada.

Lembram das fotos que o Daylenn tirou e mandou para alguns conhecidos? Quando a família começou a investigar, eles decidiram olhar as fotos na tentativa de encontrar alguma pista ou sinal que pudesse ajudar a encontrar a localização dele. Em uma das fotos, eles notaram que, em uma certa distância, havia um homem agachado no meio de alguns arbustos. A família então divulgou essa informação e pediu ajuda para identificar o homem, que poderia ter algo a ver com o desaparecimento. Procurando algumas informações do caso no Reddit, um usuário disse que o homem misterioso era seu amigo, que ele chegou a ser identificado porque ligou para a polícia quando descobriu que o Daylenn estava desaparecido, mas essa informação não foi divulgada pela polícia e nem pela mídia.


Homem misteriosos que apareceu em foto compartilhada pelo jovem: oficialmente ele não foi identificado

Mesmo antes do desaparecimento, existia um grande debate sobre o destino das escadas: de um lado existiam pessoas que queriam a eliminação delas por considerarem perigosas, enquanto outro grupo queria um investimento para que o local fosse novamente aberto ao público. Após anos de deliberação, a Câmara Municipal de Honolulu decidiu pela remoção das escadas: no total serão gastos US$ 1,3 milhão para a demolição. Atualmente são gastos US $ 250.000 por ano para manter a segurança da área ao redor das escadas.

Um grupo chamado The Friends of Haiku Stairs apresentou um projeto de gerenciamento comunitário para o prefeito, incluindo um financiamento coletivo para contratação dos serviços, recolhimento de impostos e pagamento de entrada para arcar com os custos, além de prometerem entrar na justiça para reverter a decisão do conselho alegando que o custo para a remoção é muito alto. Se o grupo não conseguir reverter a medida, a Escadaria de Haiku deve começar a ser desmontada em 2023.


Placa informando sobre a proibição de entrar na Escadaria de Haiku


FONTES: Freak TV, StrangeOutdoors, Hawaii News Now, HuffPost, The Charley Project, KHON2.

2.321 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

1件のコメント


Pedro Zanetti
Pedro Zanetti
2023年12月05日

Nunca encontraram o corpo dele?

いいね!
bottom of page